Quais ideias da Reforma Protestante são importantes para uma igreja missional?

Michael Goheen: eu acredito que todas elas. A Reforma é importante; certamente “Somente a Escritura”, recuperando e conhecendo as Escrituras como nossa autoridade final, “Somente Cristo”, entendendo que é somente em Cristo que somos salvos, “Somente a fé”, “Somente a Graça”, que é tudo pela graça de Deus.

Tudo isso é importante, mas o que eu penso ser muito mais importante não é tentar simplesmente recuperar a Reforma para os nossos dias para voltar ao passado, para simplesmente viver tudo novamente. Sim, é importante manter tradições; é uma parte da criação. É importante quando ideias são ganhas pela igreja num período particular de tempo, e então nós precisamos mantê-las. Quando tentamos ser conservadores no sentido de se prender e viver no passado, aí é perigoso. Nós temos que viver no presente, e precisamos perguntar: o que é que existe hoje que precisa ser mudado ou resolvido?

Isso é o que os reformadores fizeram, e o que Lutero e Calvino diziam era: o que precisa ser recuperado das Escrituras? O que ficou enterrado abaixo da autoridade e tradição da igreja?

Eu acredito que as melhores formas pelas quais podemos honrar os reformadores e permanecer no espírito da Reforma é perguntando: o que é que precisa ser recuperado atualmente?

Direi somente mais duas coisas, baseado nos princípios da Reforma:

  • Somente a Escritura: eu diria que isso tem sido muito bem mantido, pelo menos pelas igrejas evangélicas que eu conheço. Acredito que é o todo da Escritura que precisa ser recuperado atualmente. Entender o todo da Bíblia como uma história.
  • Somente Cristo: com certeza as igrejas com as quais eu trabalho entenderiam isso – Somente Cristo – mas algumas vezes o Cristo que eles estão falando não é o Cristo da Bíblia, não é o Cristo como ele realmente é revelado nas Escrituras. Cristo é colocado não na história como um todo da Bíblia, mas é colocado nas suas próprias pequenas histórias, e acaba virando nada mais que um salvador pessoal. Entender a Cristo como criador de todas as coisas, governante da história, sustentador de todas as coisas, reconciliador do mundo, o juiz final, o que será conhecido como Senhor de tudo e que já está reinando à direita de Deus – e que devemos submeter toda nossa vida ao Cristo que vive – esse é o Cristo que precisamos entender, conhecer, amar e servir.

*Texto adaptado de entrevista concedida por Goheen em 2017, durante participação no Encontro de Obreiros do Movimento Encontrão. Michael W. Goheen é diretor de educação teológica e pesquisador residente no Missional Training Center, em Phoenix, Arizona, nos Estados Unidos. Ele é autor de diversos livros, entre eles “A Igreja Missional na Bíblia” e “A Missão da Igreja Hoje”.

Por Missão Zero

sexta-feira, 22 novembro 2019

Mais do ME

Vida e trabalho em missão

Vida e trabalho em missão

Ore ao Pai pelas oportunidades de compartilhar em seu local de trabalho. Procure oportunidades de compartilhar as verdades do evangelho durante seu dia de trabalho.

ler mais

A Comunidade mãe e sua importância

Toda comunidade saudável tem a capacidade de ser uma comunidade mãe. Talvez mais do que isso, pelo compromisso de levar o evangelho a todas as pessoas, em todos os lugares, tenham o dever de ser comunidade mãe, ou pelo menos participar ativamente da plantação de novas comunidades.

Vida e trabalho em missão

Ore ao Pai pelas oportunidades de compartilhar em seu local de trabalho. Procure oportunidades de compartilhar as verdades do evangelho durante seu dia de trabalho.

O Covocacionado e suas vantagens na plantação de igrejas

É necessário que comecemos a falar sobre a importância de pessoas covocacionadas no pastoreio de igrejas já existentes, como também na plantação de novas.

Vocação e Evangelho na missão pelo mundo

Nem a profissão nem o ministério devem definir o que é um “fazedor de tendas”. Ele deve ser alguém que sabe que é um filho amado de Deus. Uma pessoa impactada pela mensagem do evangelho de tal maneira que esteja disposta a reproduzi-la com naturalidade mesmo estando bem longe da sua zona de conforto.

Covocacionados?

Quando compreendemos o nosso trabalho como vocação de Deus, as nossas perspectivas são totalmente mudadas. Percebemos que, dentro da nossa realidade, já somos missionários atuantes, quando obedecemos a ordem e envio de Jesus Cristo. Não é somente o trabalho de um pastor ou de um missionário que é definido por vocação, mas também o de qualquer profissão, quando o cristão se deixa orientar por Deus.

Vocação pela missão de Deus!

O trabalho é parte da missão de Deus que Ele nos permite participar, também porque por meio dele alcançamos diversas pessoas que não conhecem a Cristo, mas porque ele agrada a Deus, e feito com justiça e dedicação manifesta sinais de seu reino. O trabalho não é só o meio que conseguimos recursos para ajudar aos missionários, mas um meio como todos nós somos missionários.

Em meio às turbulências, descanso!

Jesus Cristo chamou a Ele todos os “que estão cansados e sobrecarregados”, pois lhes dá descanso (Mt 11.28). Jesus novamente nos chama a Ele nesse tempo difícil. Talvez, em primeiro lugar nesse tempo de caos, precisemos encontrar descanso em Jesus, e lembrar do seu cuidado e da sua provisão.

Igreja em todas as circunstâncias

Deus continua agindo na história e agora enviou a sua igreja às suas próprias casas, nos mostrou o nosso serviço com as nossas próprias famílias e com a realidade bem próxima e concreta, com as necessidades imediatas dos nossos vizinhos.

A amizade colocada em prática

“Se nossas lutas contra a morte, a doença e a perda são respaldadas pela esperança e pelo conforto das boas-novas da obra de Cristo, então, é improvável que fiquemos em silêncio quando amigos e vizinhos incrédulos lutam contra a dor”.

Celebração do impossível

A Páscoa nos conta a história do ato supremo de amor de Deus em nosso favor, o da entrega de seu Filho para pagar o preço pelo meu e pelo seu pecado. Pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado (1 Co 5.7). Como prova de que a morte não tem a última palavra, e como esperança e sinal da nossa ressurreição para a vida eterna em Cristo, ele ressuscitou!

4 mentiras sobre a plantação de igrejas

Você já pensou que todas as igrejas, inclusive a que você participa, teve um início? Como ela começou? Qual foi o trabalho realizado? Qual foi o segredo? Tenho certeza: a resposta será que foi através de pessoas. Pessoas dispostas a compartilhar o evangelho com outras. A razão maior para o nascimento dessas igrejas foi o desejo de glorificar a Deus.

Uma grande oportunidade

Sempre escutei que crise gera oportunidade, e parece que essa não é diferente. A crise nos oferece a oportunidade de mudar conscientemente. Oportunidade de nos aproximar mais de Deus, com tempo de qualidade; oportunidade de nos aproximar de nossa família, mesmo que seja por vídeo conferência; e a oportunidade de parar para projetar e lapidar projetos de vida.

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.