Partimos do pressuposto de que a plantação de novas comunidades é o modo mais efetivo de cumprir a grande comissão dada por Cristo: “Toda autoridade me foi dada nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espirito Santo, ensinando-os a obedecer tudo o que eu ordenei para vocês. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28.18-20).

A primeira comunidade cristã na história que se envolveu de uma forma efetiva e de modo planejado na plantação de novas igrejas foi a de Antioquia, na Síria. A mesma comunidade, na qual os seguidores de Jesus pela primeira vez foram chamados de cristãos  (Pequenos Cristos – Atos 11.26).

Tudo começou em Atos 13.1-3: Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. Enquanto adoravam o Senhor e jejuavam, disse o Espirito Santo: Separem-me a Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes a mãos e os enviaram.

A comunidade de Antioquia, conduzida por seus líderes mostra-se aberta para o chamado do Espírito Santo a se envolver na plantação de igrejas. Ela paga o preço, assumindo a responsabilidade que lhe é confiada. Ela entrega para a obra 40% de seu corpo principal de líderes: Barnabé (o mais velho e principal) e Saulo (o mais novo e aprendiz). A história nos mostra que a Comunidade de Jerusalém, berço do cristianismo, progressivamente vai se fechando em torno de si mesma, diferentemente do que aconteceu em Antioquia, ela mesma fruto da missão espontânea de “missionários leigos”.

Após receber o chamado, Barnabé e Saulo são enviados e recebem da comunidade o apoio necessário e a imprescindível retaguarda. A comunidade “vai com eles”, ou seja, com eles e através deles toda a Comunidade de Antioquia assume a condição de plantadora de novas igrejas. Essa é a razão pela qual Barnabé e Saulo sempre de novo voltam para Antioquia para prestar contas (Atos 13.26-28; Atos 15.22 e Atos 18.22-23) a respeito do que Deus estava fazendo através deles.

Assim, novas comunidades são plantadas em todo o Império Romano e pessoas foram  salvas, pois a comunidade de Antioquia assumiu a visão de ser uma igreja para os de fora.

O desafio de plantar igrejas continua, enquanto a grande comissão não tiver sido cumprida integralmente. Assim como necessitamos de novos plantadores, buscamos comunidades que assumam o chamado que a Comunidade de Antioquia assumiu, de ser “Comunidade Mãe”.

O que significa isso hoje e quais responsabilidades estão implícitas nesse chamado para a Comunidade?

  1. Assumir para si o chamado de ser uma plantadora de igrejas;
  2. Dar suporte institucional para a nova Comunidade que irá nascer;
  3. Dar autonomia para o plantador e para a nova comunidade;
  4. Se possível, enviar pessoas entre seus principais líderes para integrar o projeto;
  5. Dar apoio financeiro;
  6. Fornecer mentoria estratégica para o plantador e para a nova comunidade;
  7. Acompanhar a caminhada da nova comunidade com alegria até o momento em que ela se organiza enquanto comunidade autônoma, na expectativa de se envolver em novos projetos de plantação.

Plantar novas igrejas é a própria natureza da igreja de Jesus, é o testemunho histórico do cristianismo. Novas igrejas trazem vitalidade e ânimo, bem como cooperam para o cumprimento da grande comissão.

Sigolf Greuel

Por Missão Zero

quarta-feira, 17 junho 2020
Mais da MZ
A missão da Liga da Justiça

A missão da Liga da Justiça

Embora eles já tenham passado por várias mudanças ao longo dos anos e tenham se dividido e se reunido inúmeras vezes, sempre que as fichas foram lançadas e a terra precisou de seus maiores heróis juntos nas linhas de frente, a Liga da Justiça sempre respondeu ao chamado para o dever.

ler mais

Disrupção

O momento atual tem levado toda a sociedade no caminho da disrupção. Mas se pararmos para pensar, esse termo não é novo. O Evangelho é disruptivo, a missão é disruptiva, o Espírito Santo de Deus age em nós e através de nós de forma disruptiva. Ele transforma padrões. Ele nos convida a mudanças. Ele desafia modelos.

A missão da Liga da Justiça

Embora eles já tenham passado por várias mudanças ao longo dos anos e tenham se dividido e se reunido inúmeras vezes, sempre que as fichas foram lançadas e a terra precisou de seus maiores heróis juntos nas linhas de frente, a Liga da Justiça sempre respondeu ao chamado para o dever.

O desafio da missão aos jovens

Como a igreja pode “concorrer” com tantas alternativas oferecidas no mundo virtual? Afinal, não se trata apenas dos jovens (que são uma faixa-etária essencial à igreja), mas destes que além de já serem igreja hoje, serão igreja por muito tempo pela frente. Se a igreja não alcançar os jovens hoje, quem será a igreja daqui a 15, 30 ou 50 anos?

O terminal

É nos lares que a igreja pós-pandemia se fortalecerá e se desenvolverá. Líderes/pastores sábios irão cooperar com esta tendência ao invés de competir com ela: eles precisarão capacitar os membros para serem ministros de suas famílias e vizinhanças.

Visão 5030

Queremos plantar igrejas pois compreendemos que essa é a melhor forma de levar a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo aos mais diversos lugares e contextos. Igrejas significativas e relevantes à cultura podem alcançar pessoas de diferentes gerações, tradições e grupos socioeconômicos, além de impactar positivamente a sua região.

Uma jornada extraordinária!

Os cristãos da igreja primitiva se reuniam em suas casas para terem comunhão “uns com os outros”, para ministrarem orações uns pelos outros, para comerem juntos e para compartilharem a Palavra. Não se reuniam apenas para estudar ou ouvir alguém dando sermões. Tudo o que faziam era parte do novo estilo de vida gerada por Cristo em suas vidas.

Um convite que vale a pena!

Quando você faz parte de uma plantação de uma igreja, você vê claramente aquele Evangelho que você pensou que não tinha “tanto” poder mudar a vida da pessoa com a qual você está convivendo. A transformação acontece na sua frente e você lembra que “o Evangelho de Jesus tem poder”.

Por que plantar igrejas?

Na Grande Comissão, Jesus não somente convoca seus discípulos para fazerem outros discípulos, mas diz para que façam discípulos, batizem e ensinem. Os desafios evangelísticos do Novo Testamento não são simplesmente para compartilhar a fé, mas são chamados para a plantação de igrejas.

Deus capacita os disponíveis

Se você parar pra pensar, a maioria das tarefas realizadas que se tornam extraordinárias, ou até mesmo “ordinárias”, não são realizadas por alguém com um chamado especial pra isso, mas sim por alguém que se colocou à disposição.

Qual a principal função da laranjeira?

Organismos vivos saudáveis nascem, crescem, amadurecem e frutificam (ou se multiplicam). Assim sendo, Igrejas saudáveis se reproduzem. Líderes saudáveis reproduzem outros líderes. Discípulos saudáveis e maduros se reproduzem na vida de outros discípulos.

Ferro com ferro

Muitos líderes têm medo do discipulado porque ele exige vulnerabilidade e transparência, e vulnerabilidade é a chave para a conexão. É impossível manter os discípulos à distância e discipulá-los ao mesmo tempo. Ou você permite que eles observem você de perto ou você renuncia à sua responsabilidade como pai ou mãe espiritual.

Um certo Teodorico

O discipulado que Jesus praticara seria o modelo de ministério que todos deveriam considerar. Este seria a chave para alcançar todas as pessoas, em todos os lugares e em todos tempos. As outras atividades que se praticassem, por melhor que fossem, seriam acessórias e secundárias.

O desafio da missão aos jovens

O desafio da missão aos jovens

Como a igreja pode “concorrer” com tantas alternativas oferecidas no mundo virtual? Afinal, não se trata apenas dos jovens (que são uma faixa-etária essencial à igreja), mas destes que além de já serem igreja hoje, serão igreja por muito tempo pela frente. Se a igreja não alcançar os jovens hoje, quem será a igreja daqui a 15, 30 ou 50 anos?

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.