Pedro. Cornélio. Barnabé. Ágabo. Saulo. Em Atos 11, esses homens e as pessoas com quem conviviam são colocados em movimento. Nesse trecho bíblico, evidencia-se que a dinâmica missionária depende da e se dá por meio da ação do Espírito Santo. Na vivência da intimidade com o Senhor, por exemplo, Pedro e Cornélio são conduzidos a um encontro que cumpria com os propósitos do Evangelho e, mais, abriria a perspectiva de missão da igreja, entendendo que a salvação, em Cristo Jesus, é para todos, independentemente de qualquer aspecto étnico, cultural ou territorial.

Gosto de pensar que a experiência individual de direcionamento do Espírito é confirmada em uma proposta coletiva de ação pelo Reino de Deus, pelo Evangelho, para a glória de Cristo. Veja bem no texto de Atos 11: aquilo que Espírito permite que Pedro e Cornélio experimentem lhes conduz à comunhão, à unidade, ao testemunho, à evangelização. E, em todo esse capítulo do livro bíblico, vemos claramente crentes em movimento, pois estavam em comunhão íntima com o Senhor, permaneciam atentos à voz do Senhor e se dispunham à obediência ao Senhor. Eles se movem da oração à missão.

A submissão à voz e ao direcionamento do Senhor Deus demanda que saiamos de nossa zona de conforto. A de Pedro, talvez, era pregar só para judeus. A de Cornélio, talvez, viver sua vida piedosa dentro da religiosidade praticada. A de Barnabé, talvez, ficar em Jerusalém. A de Ágabo, talvez, a de não profetizar. A de Saulo, talvez, a de não trocar a letra inicial de seu nome pela “P”. E a nossa?

Outro aspecto também relevante ao pensarmos nessa submissão é o que se mostra na postura dos irmãos de Jerusalém diante da surpresa de o apóstolo pregar aos gentios: por vezes (e muitas vezes!), haverá resistências. No entanto, Atos 11 nos deixa claro que o mesmo Espírito que dinamiza a missão é quem apazigua os ânimos, trazendo paz e unidade para os propósitos da igreja de Cristo. Por isso, ao sermos impelidos a deixar nossas zonas de conforto, por mais que haja confronto, no poder amoroso e capacitador do Espírito, os desígnios soberanos do Senhor se cumprirão.

A reflexão a partir de Atos 11 nos lembra de que a ação missionária começa, sobretudo, com a oração. Por meio do relacionamento com Deus, podemos nos alinhar aos seus graciosos propósitos. E, assim, obedecermos à sua vontade. É encorajador perceber que a proclamação do Evangelho, a partir da vida de intimidade com o Senhor, derrama o Espírito sobre aqueles que nos ouvem, promovendo a conversão e oportunizando dons para a edificação e o serviço do Corpo de Cristo. Uma vez que o Espírito age com liberdade e, muito frequentemente, é capaz de nos surpreender, é preciso cuidado para não nos opormos àquilo que o Senhor da Missão quer realizar em nosso meio e a partir de nós.

Edson Munck Jr – professor em Juiz de Fora/MG

Por Missão Zero

quarta-feira, 24 fevereiro 2021
Mais da MZ
Somente a Escritura

Somente a Escritura

Assim como nossos pesos e medidas dependem de uma medida padrão, todo ensino na igreja precisa ser aferido na Sagrada Escritura. Todo sermão deve ser conferido pelo ensino da Bíblia. O que não está em sintonia com ela, não é palavra de Deus para nós.

ler mais

Somente Cristo

A igreja tem a dádiva e a tarefa de zelar para que, em todos os tempos, o nome de Jesus Cristo continue sendo proclamado de como o único nome – somente Cristo – que tem o poder de redimir o mundo todo que “que está debaixo do poder do Maligno” (1 Jo 5.19).

Somente a Escritura

Assim como nossos pesos e medidas dependem de uma medida padrão, todo ensino na igreja precisa ser aferido na Sagrada Escritura. Todo sermão deve ser conferido pelo ensino da Bíblia. O que não está em sintonia com ela, não é palavra de Deus para nós.

Somente a Fé

Só quem experimentou o amor pode falar dele e vivê-lo. Por isso, confiar que Deus nos ama torna-nos testemunhas desse amor. Conhecer e experimentar o amor de Deus nos compromete a fazer o mesmo lá onde nossa vida acontece. Por isso o apóstolo escreve que “Somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por meio de nós”.

A Missão Zero terá uma alteração importante na forma de trabalho. Multiplicamos! Contamos agora com uma equipe mais ampla de pessoas muito bem qualificadas no que fazem, e que viverão o ministério covocacionado também na secretaria da MZ. Saiba mais sobre esses Novos Rumos por meio do vídeo e do informativo que preparamos.

Educação na teologia missional

Nossa pedagogia tem frequentemente sido altamente racional; eu tenho conteúdo, o comunico a você; você memoriza, escreve em um papel em uma prova e aí está: boa educação. Bem, existem muitas pessoas que podem fazer isso e não se tornarem bons pastores. Eu acho que nós precisamos encontrar uma pedagogia que é mais orientada ao discipulado.

A Reforma Protestante e a Igreja Missional

Entender a Cristo como criador de todas as coisas, governante da história, sustentador de todas as coisas, reconciliador do mundo, o juiz final, o que será conhecido como Senhor de tudo e que já está reinando à direita de Deus – e que devemos submeter toda nossa vida ao Cristo que vive – esse é o Cristo que precisamos entender, conhecer, amar e servir.

Os ídolos dos nossos dias

É importante perceber que um ídolo é quando nós começamos a pegar algo bom da criação e orientamos nossas vidas em comunidade ao redor disso. Começamos a organizar todas as instituições e costumes das nossas vidas em torno desse ídolo, e então o ídolo, através de poder demoníaco e do que está em nossas cabeças, nos domina, nos agarra, nos escraviza e nos destrói.

A História que dá sentido a tudo

A Bíblia começa na criação e termina na nova criação. Ela mostra o significado da história do mundo, o propósito dessa história, e o objetivo disso. Nós encontramos isso revelado e centrado principalmente na pessoa de Jesus Cristo.

Igreja missional ou missionária?

Em Gênesis 12.2-3, a palavra “abençoar” tem um senso de “ser restaurado à humanidade plena”, onde o deleite e prosperidade do que significa ser humano é restaurado. Nós somos salvos do pecado e da miséria do mal. Quando somos abençoados, não é apenas para nosso bem, mas para abençoar outros.

Não é sacrifício. É privilégio!

Se a maioria das igrejas que investem em missão e plantação esperassem ter recursos sobrando ou condições para isso, muitos projetos e igrejas que realizam um belíssimo trabalho não existiriam. Pense nisso com carinho.

Discípulo presente

Em cada novo momento da história, Deus chama os discípulos de Jesus para se perguntarem se estão sendo fiéis à missão que ele, Deus, nos confiou. Por isso, a igreja é algo dinâmico, em mudança, na constante busca pela fidelidade a Deus, lembrando que essa fidelidade é para ser vivida no contexto histórico no qual nos encontramos.

O covocacionado na plantação de igrejas

Covocacionados são vistos como pessoas que investem na sociedade, criando serviços, provendo educação ou empregando pessoas. Tal viabilidade gera respeito e abre portas para explicar porque somos diferentes e do porquê escolhemos assumir nossa posição no mercado de trabalho com base em valores bíblicos.

Somente a Fé

Somente a Fé

Só quem experimentou o amor pode falar dele e vivê-lo. Por isso, confiar que Deus nos ama torna-nos testemunhas desse amor. Conhecer e experimentar o amor de Deus nos compromete a fazer o mesmo lá onde nossa vida acontece. Por isso o apóstolo escreve que “Somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por meio de nós”.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.