Quando pensamos no contexto cristão na idolatria, logo nos vêm à mente tudo o que é mais claro, a adoração de imagens, de outros deuses, de tudo aquilo que acaba sendo colocado no lugar de Deus como digno de ser adorado. Dessa forma, sabemos que não é algo novo, mas que percorre toda a história. De fato, essa é a maneira “clássica” de que se percebe esse mal humano.

Nos nossos dias, no entanto, a idolatria está tão presente quando sempre esteve, embora de forma muito mais disfarçada. Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria. Como disse Calvino, “o coração humano é uma fábrica de ídolos”.

Precisamos nos policiar para perceber como nós e até como nossa igreja tem idolatrado algo e nos afastado de Deus. Precisamos olhar para dentro de nós e perceber se temos confiado em Deus, no mais profundo do nosso ser, ou se a nossa segurança está na nossa casa, nos nossos pertences, ou até mesmo ancorada a uma pessoa. É importante que façamos isso e que peçamos a Deus essa clareza justamente pela idolatria ser muitas vezes tão disfarçada, algo que não percebemos até notarmos em situações extremas.

Todos nós, como seres humanos, dos mais aos menos religiosos, precisamos nos apegar a coisas maiores que nós para nos darem segurança, e quando não buscamos a Deus buscamos isso em várias outras coisas. Como igreja, precisamos estar cientes disso sobre nós mesmos e sobre os outros, e precisamos pregar a mensagem de transformação que o Evangelho nos traz.

Cristo morreu e nos livrou da morte e da escravidão do pecado. Através do sacrifício e ressurreição dele o homem não precisa mais de ídolos, encontrando a única segurança que é profunda, verdadeira e necessária. Não precisamos mais ser escravos de nossos ídolos, afastando nossas vidas de Deus e procurando em outras coisas aquilo que só ele pode oferecer.

“Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas. Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a sua vida, for manifestado, então vocês também serão manifestados com ele em glória. Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e ganância, que é idolatria. ”  Colossenses 3.2-5

Por Missão Zero

sexta-feira, 20 setembro 2019

Mais do ME

Educação na teologia missional

Educação na teologia missional

nós precisamos conhecer a nossa cultura, pois nunca enviaríamos alguém para outra parte do mundo até que esta pessoa conhecesse bem a cultura, e ainda assim nós enviamos os nossos pastores a culturas que eles não conhecem, pois eles estiveram em briga com a cultura a sua vida inteira. Estudos culturais são fundamentais.

ler mais

3 passos para uma noite especial: Passo 1 – Ore!

Queremos ajudar você a preparar essa noite tão especial! E, mais do que isso, gostaríamos de convidar você a tornar essa noite, além de inesquecível, marcante na vida e nos corações das pessoas que estarão com você. Estes passos lhe ajudarão a tornar a mensagem do natal clara para os seus convidados.

Educação na teologia missional

nós precisamos conhecer a nossa cultura, pois nunca enviaríamos alguém para outra parte do mundo até que esta pessoa conhecesse bem a cultura, e ainda assim nós enviamos os nossos pastores a culturas que eles não conhecem, pois eles estiveram em briga com a cultura a sua vida inteira. Estudos culturais são fundamentais.

A Reforma protestante e a igreja missional

E importante manter tradições; é uma parte da criação. É importante quando ideias são ganhas pela igreja num período particular de tempo, e então nós precisamos mantê-las. Quando tentamos ser conservadores no sentido de se prender e viver no passado, aí é perigoso. Nós temos que viver no presente, e precisamos perguntar: o que é que existe hoje que precisa ser mudado ou resolvido?

Ídolos dos nossos dias

Uma das coisas que nós temos que perceber é que os ídolos não são coisas individuais que ficam uma ao lado da outra. A idolatria vem em uma embalagem complexa, e a resposta para essa pergunta é a de que existem cinco ou seis ídolos e explicar como eles se desenvolveram em suas histórias particulares.

Missionário Mateus participa de evento da Federação Luterana Mundial

Relato de viagem do Missionário Mateus Pereira: “Estive representando o lado luterano da Igreja Protestante Unida da França, na consulta global da Federação Luterana Mundial intitulada ‘Cremos no Espirito Santo: Perspectivas globais sobre identidades luteranas”.

Metanarrativa bíblica

A Bíblia conta uma história que começa em criação: esse é o começo de toda a história. Ela termina com uma nova criação, no Reino de Deus, na restauração e consumação de todas as coisas. Isso é o final da história cósmica. Nós estamos falando sobre o começo e o fim da história do mundo.

Igreja Missional

Hoje inicia-se uma série que conterá cinco textos para o mês de novembro, denominada “5 respostas sobre Teologia Missional – com Michael Goheen”. Começamos com a temática “Igreja missional”. 

Somente a Graça

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Somente Cristo

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Somente a Escritura

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Somente a fé

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Relativismo

Jesus é a verdade porque é absoluto, é real independente de quem nele acredita ou não. Jesus vai muito além do relativo e é a própria verdade. Ele veio e venceu a morte para nos redimir, nos salvar de nós mesmos e do nosso pecado e nos levar até o Pai. Ele é a verdade que liberta!

A Reforma protestante e a igreja missional

A Reforma protestante e a igreja missional

E importante manter tradições; é uma parte da criação. É importante quando ideias são ganhas pela igreja num período particular de tempo, e então nós precisamos mantê-las. Quando tentamos ser conservadores no sentido de se prender e viver no passado, aí é perigoso. Nós temos que viver no presente, e precisamos perguntar: o que é que existe hoje que precisa ser mudado ou resolvido?

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.