A igreja de Cristo está em casa, os templos estão vazios!

O que isso significa para a nossa realidade, em que isso altera a vida e a vocação dos discípulos de Cristo? A missão continua ou enfrenta uma pausa, um momento necessário de se retrair e esperar? O ano de 2020 será um ano perdido para a igreja?

Em Gênesis 12, Deus promete a Abraão que por meio do povo que geraria, através da sua descendência, todos os povos da Terra seriam abençoados. Séculos depois, esse povo foi exilado e forçado a sair da terra que Deus os deu e levado à Babilônia. O povo sentia saudades de sua terra e do templo do Senhor. O salmo 137 retrata bem esse sentimento:

“Junto aos rios da Babilônia nós sentamos e choramos com saudades de Sião.” (v. 1)

Ali, o povo se sente frustrado, sem vitalidade, e perde a vontade de cantar.

“Como poderíamos cantar as canções do Senhor numa terra estrangeira?” (v. 4)

Seria o fim, ou um período perdido na história de Israel? Nessa mesma época, Deus fala ao povo por meio de Jeremias:

“Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, a todos os exilados, que deportei de Jerusalém para a Babilônia: ‘Construam casas e habitem nelas; plantem jardins e comam dos seus frutos. Casem-se e tenham filhos e filhas; […] multipliquem-se e não diminuam. Busquem a prosperidade da cidade para a qual eu os deportei e orem ao Senhor em favor dela, porque a prosperidade de vocês depende da prosperidade dela’” (Jeremias 29.4-7)

No meio do exílio, do tempo de exceção, do fora de habitual, Deus exorta seu povo a viver! A missão de Israel não parou, mas ganhou novas perspectivas. Agora, Israel podia abençoar outra nação a partir de dentro.

No Novo Testamento, em Atos 8, quando a igreja não pode se reunir mais, mas é dispersa e espalhada por conta da perseguição aos cristãos, aqueles “que havia sido dispersos pregavam a Palavra por onde quer que fossem” (v.4). Deus usou uma situação adversa e capacitou os seus servos para agir na história, e justamente nesse momento a própria igreja se expandiu.

A missão da Igreja de Jesus Cristo também não para por estar em casa, em “exílio”. As saudades do encontro na igreja com outros irmãos não é algo ruim, mas não deve nos desmotivar, pois agora a missão ganha novas perspectivas. Deus continua agindo na história e agora enviou a sua igreja às suas próprias casas, nos mostrou o nosso serviço com as nossas próprias famílias e com a realidade bem próxima e concreta, com as necessidades imediatas dos nossos vizinhos.

A igreja é mobilizada e chamada a se adaptar às novas circunstâncias para abençoar em tempo de caos, ser relevante para sua realidade e chamar pessoas à realidade de Cristo. Que possamos buscar a Deus para entender qual o nosso papel pessoal e comunitário nesse tempo!

Daniel Deggau

Por Missão Zero

quarta-feira, 22 abril 2020
Mais da MZ

Vida e trabalho em missão

Ore ao Pai pelas oportunidades de compartilhar em seu local de trabalho. Procure oportunidades de compartilhar as verdades do evangelho durante seu dia de trabalho.

O Covocacionado e suas vantagens na plantação de igrejas

É necessário que comecemos a falar sobre a importância de pessoas covocacionadas no pastoreio de igrejas já existentes, como também na plantação de novas.

Vocação e Evangelho na missão pelo mundo

Nem a profissão nem o ministério devem definir o que é um “fazedor de tendas”. Ele deve ser alguém que sabe que é um filho amado de Deus. Uma pessoa impactada pela mensagem do evangelho de tal maneira que esteja disposta a reproduzi-la com naturalidade mesmo estando bem longe da sua zona de conforto.

Covocacionados?

Quando compreendemos o nosso trabalho como vocação de Deus, as nossas perspectivas são totalmente mudadas. Percebemos que, dentro da nossa realidade, já somos missionários atuantes, quando obedecemos a ordem e envio de Jesus Cristo. Não é somente o trabalho de um pastor ou de um missionário que é definido por vocação, mas também o de qualquer profissão, quando o cristão se deixa orientar por Deus.

Vocação pela missão de Deus!

O trabalho é parte da missão de Deus que Ele nos permite participar, também porque por meio dele alcançamos diversas pessoas que não conhecem a Cristo, mas porque ele agrada a Deus, e feito com justiça e dedicação manifesta sinais de seu reino. O trabalho não é só o meio que conseguimos recursos para ajudar aos missionários, mas um meio como todos nós somos missionários.

Em meio às turbulências, descanso!

Jesus Cristo chamou a Ele todos os “que estão cansados e sobrecarregados”, pois lhes dá descanso (Mt 11.28). Jesus novamente nos chama a Ele nesse tempo difícil. Talvez, em primeiro lugar nesse tempo de caos, precisemos encontrar descanso em Jesus, e lembrar do seu cuidado e da sua provisão.

Igreja em todas as circunstâncias

Deus continua agindo na história e agora enviou a sua igreja às suas próprias casas, nos mostrou o nosso serviço com as nossas próprias famílias e com a realidade bem próxima e concreta, com as necessidades imediatas dos nossos vizinhos.

A amizade colocada em prática

“Se nossas lutas contra a morte, a doença e a perda são respaldadas pela esperança e pelo conforto das boas-novas da obra de Cristo, então, é improvável que fiquemos em silêncio quando amigos e vizinhos incrédulos lutam contra a dor”.

Celebração do impossível

A Páscoa nos conta a história do ato supremo de amor de Deus em nosso favor, o da entrega de seu Filho para pagar o preço pelo meu e pelo seu pecado. Pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado (1 Co 5.7). Como prova de que a morte não tem a última palavra, e como esperança e sinal da nossa ressurreição para a vida eterna em Cristo, ele ressuscitou!

4 mentiras sobre a plantação de igrejas

Você já pensou que todas as igrejas, inclusive a que você participa, teve um início? Como ela começou? Qual foi o trabalho realizado? Qual foi o segredo? Tenho certeza: a resposta será que foi através de pessoas. Pessoas dispostas a compartilhar o evangelho com outras. A razão maior para o nascimento dessas igrejas foi o desejo de glorificar a Deus.

Uma grande oportunidade

Sempre escutei que crise gera oportunidade, e parece que essa não é diferente. A crise nos oferece a oportunidade de mudar conscientemente. Oportunidade de nos aproximar mais de Deus, com tempo de qualidade; oportunidade de nos aproximar de nossa família, mesmo que seja por vídeo conferência; e a oportunidade de parar para projetar e lapidar projetos de vida.

A vida sempre continua…

Durante o tempo em que morei no Nordeste brasileiro sempre tive a sensação ao longo dos meses de seca, quando a paisagem ficava cinza e tudo parecia morto, que não teria como aquelas plantas retornarem a vida. Mas com a primeira chuva, ah, a primeira chuva, três dias depois, a paisagem mudava para um verde que expressava vida.

Vocação e Evangelho na missão pelo mundo

Vocação e Evangelho na missão pelo mundo

Nem a profissão nem o ministério devem definir o que é um “fazedor de tendas”. Ele deve ser alguém que sabe que é um filho amado de Deus. Uma pessoa impactada pela mensagem do evangelho de tal maneira que esteja disposta a reproduzi-la com naturalidade mesmo estando bem longe da sua zona de conforto.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.