Paulo e Barnabé eram missionários que adentraram em diferentes regiões de seu tempo na busca por fazer florescer o evangelho do plano divino nas mais diversas subculturas. Estes inspirados líderes missionários – ora itinerantes, ora permanentes – eram implacáveis na busca por fazer acontecer o plano de Deus nos lugares em que chegavam (se bem que quem fazia mesmo era o Espírito Santo de Deus).

Atos 14.21-28 nos relata o retorno da primeira viagem missionária desta dupla. Ali, logo após um relativo sucesso na evangelização em Derbe, estão se aproximando de retorno à cidade de Antioquia, que era sua base de envio. É admirável perceber que as viagens missionárias eram a um só tempo movidas por expectativas grandes, alegres e esperançosas, como também de outro lado por agonia, perigo ou, se preferir, “tribulações” (cf. versículo 22).

É incrível perceber que mesmo tendo possibilidades estes homens não queriam, e não conseguiam, fugir dessa vocação, pois haviam encontrado na preciosidade do evangelho de Jesus a fonte de busca de todo ser humano. Além disso, conforme o verso 23, o encorajamento na fé se dá de forma sublime ao vermos os apóstolos capacitando discípulos para serem líderes e enviando-os segundo direção divina. Estou convencido de que esta era uma prática bastante natural na primeira igreja e que a mesma precisa voltar a acontecer com dinamismo consistente na missão do nosso mundo pós pandemia.

Mas qual seria a fonte desta constante força encorajadora fazendo que não apenas fossem capazes de fornecer pra eles próprios tamanha energia e vitalidade na jornada missionária e vida com Deus, quanto também de abastecer o tanque vazio de cada qual ao seu redor? Note que inclusive a ponto de resistirem a apedrejamentos, prisões, naufrágios, torturas, etc.

Arriscaria dizer que isso se deve à convicção consolidada que tinham em seus corações, o que eu chamaria de ‘equação missiológica matemática’. A convicção deles era algo neste sentido: “Jesus me salvou” logo, os frutos do Espírito Santo (Gl 5.22) + a grande comissão (Mt 28.16-20) = expectativa do reino de Deus (At 14.22). Reconheço que parece simplório e seletivo de minha parte, contudo insisto que talvez você que me lê pudesse dar uma chance a estes temas em sua meditação bíblica, pois não tenho dúvidas que aqueles missionários certamente haviam se apropriado convictamente deles, senão não estariam ali.

Veja que no verso 22 eles diziam que “É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no reino de Deus”. No tocante ao referido reino de Deus enxergo ser tanto a realidade interior, onde o cristão experimenta uma vida dotada de crescentes resquícios de valores eternos, e atua assim na sociedade desde agora (mesmo que ainda em vida imperfeita); quanto é um indicativo do reino escatológico por vir, quando então pela fé viveremos face a face em harmonia com Deus no paraíso.

Outra coisa interessante na primeira igreja é que havia lugar para ministérios itinerantes, tanto quanto para fixação de pastores locais e ainda covocacionados. Havia rica diversidade de formas que podem nos ajudar hoje. Por isso Paulo e Barnabé, que antes enviados, são agora os que assumem seus papéis: capacitando, enviando/ instalando, e dando suporte aos novos líderes das igrejas que constantemente floresciam. Sendo assim, que o Espírito Santo nos inspire e abençoe como “Paulos e Barnabés” do nosso tempo neste movimento missionário.

Rafael Carneiro

Por Missão Zero

quarta-feira, 14 abril 2021
Mais da MZ
Revisão preventiva

Revisão preventiva

Atuar na missão de Deus em nossos dias tem passado por uma revisão. A igreja que quer ser igreja mesmo, ou seja, a igreja que quer viajar cada vez mais longe, precisa passar por esse processo. Ao pegar a estrada, plantando igrejas pelo caminho, não pode esquecer do que é central.

ler mais

Negócios e plantação de igrejas: feitos um para o outro!

Não, o modelo missionário de Paulo não era “convencional”. Ele já havia demonstrado em Corinto, em Atos 18:1-4, sua fé na importância e poder das profissões no ministério, e sua convicção de que Deus não chama todos os Seus filhos para um ministério de tempo integral, mas que os chama a ministrar por tempo integral, elevando suas profissões a um contexto de ministério. Isso é especialmente verdade quando se trata de negócios.

Revisão preventiva

Atuar na missão de Deus em nossos dias tem passado por uma revisão. A igreja que quer ser igreja mesmo, ou seja, a igreja que quer viajar cada vez mais longe, precisa passar por esse processo. Ao pegar a estrada, plantando igrejas pelo caminho, não pode esquecer do que é central.

Segure a corda

Como é importante quando os problemas podem ser divididos e o campo missionário sabe a quem recorrer. Processos de mudanças de ações nesse sentido podem ser difíceis e abalam estruturas. Dificilmente, porém, haverá missão para fora se não tivermos capacidade de mexer estruturas internas.

Movimento missionário

Qual seria a fonte desta constante força encorajadora fazendo que Paulo e Barnabé não apenas fossem capazes de fornecer pra eles próprios tamanha energia e vitalidade na jornada missionária e vida com Deus, quanto também de abastecer o tanque vazio de cada qual ao seu redor?

Perdendo para ganhar

Atos 13.1-3 narra um acontecimento da Igreja de Antioquia. Não, não foi um milagre extraordinário. Pelo menos não parecia ser naquele momento. Não foi um megaevento, nem aconteceu na igreja de Jerusalém. Aconteceu numa comunidade distante dali, numa comunidade que começou meio por acaso. E foi um feito tremendo!

Páscoa: a perfeita Missão

A páscoa sempre nos relembra que Deus escolheu nos incluir, os imperfeitos, na sua perfeita missão. Ele começou, fez o que era necessário para nos salvar, e decidiu que ao invés de enviar anjos enviaria pessoas, enviaria você e eu para anunciar a todas as nações que há vida na morte, há perdão e libertação.

Missão na Europa?

A Europa foi responsável pela evangelização dos países americanos. Foi nela que o cristianismo se desenvolveu já nos primeiros séculos depois de Jesus e por meio da colonização fomos também evangelizados. Mas, desde o início do século XX, ela vive um período de descristianização e, por isso, hoje ela precisa ser novamente evangelizada.

O cristão e as finanças

A promessa é que quem abre a sua sementeira para semear, não terá falta de sementes. Deus não boicota quem tem um coração generoso, ao contrário, lhe proverá mais condições para que possa semear com generosidade em qualquer ocasião.

O cristão e o trabalho

No dia a dia é que mostramos quem realmente somos, nas nossas palavras e com as nossas atitudes. É ali que os outros podem perceber nosso caráter, nossas qualidades e defeitos. Mas como podemos ser como luzes ou como uma cidade edificada sobre um monte nessas circunstâncias?

Covocacionados: discípulos chamados a servir dentro e fora da igreja

A vida covocacionada é o buscar atender ao chamado específico de Deus para uma profissão fora da igreja, unido à obediência ao chamado geral de Deus para todos os discípulos de Jesus: fazer discípulos. Deste modo, se colocando à disposição de Deus para servi-lo em conformidade com os dons por Ele distribuídos.

Da oração à missão

O mesmo Espírito que dinamiza a missão é quem apazigua os ânimos, trazendo paz e unidade para os propósitos da igreja de Cristo. Por isso, ao sermos impelidos a deixar nossas zonas de conforto, por mais que haja confronto, no poder amoroso e capacitador do Espírito os desígnios soberanos do Senhor se cumprirão.

Por mim e por você

O sacrifício de Jesus na cruz foi por mim e por você. Não há nada que precise ser incrementado ao agir de Jesus, nem há nada que precisamos ou possamos oferecer para completar o que Jesus já arrematou na cruz. Nos resta responder a esse tão grande amor de Deus com fé, crendo em Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador.

Segure a corda

Segure a corda

Como é importante quando os problemas podem ser divididos e o campo missionário sabe a quem recorrer. Processos de mudanças de ações nesse sentido podem ser difíceis e abalam estruturas. Dificilmente, porém, haverá missão para fora se não tivermos capacidade de mexer estruturas internas.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.