Para quê serve a igreja?

Ser igreja é ter propósito

São muitas e variadas as experiências que fazemos com aquilo que chamamos de igreja. Algumas dessas experiências são boas, outras traumáticas. Por estarmos envolvidos na igreja e termos nossas experiências com ela, muitas vezes são justamente essas experiências que determinam como entendemos o que é a igreja e qual a sua função e o seu propósito.

Talvez pelo fato de estarem acostumadas com uma comunidade que presta certos “serviços religiosos”, muitas pessoas acham que a “igreja” é o local onde os recém-nascidos ou adultos são batizados, onde é feito o rito de confirmação e bênção matrimonial, onde se vai no Natal e na Páscoa, e que tem a ver com um prédio ou com pessoas reunidas em culto. Na verdade, muita gente participa daquilo que chama de igreja sem nem mesmo saber porquê, pois simplesmente herdou dos pais esse hábito de “ir à igreja”.

 A igreja é muito mais do que apenas nossas experiências com as pessoas que dela fazem parte ou que formam uma instituição com um estatuto. A igreja tem um propósito bem estabelecido para existir. E quem determina esse propósito não são os membros dela – nem mesmo aqueles que se acham sócios ou donos da igreja por ofertarem financeiramente e por fazerem parte dela há muito tempo. Quem estabeleceu o propósito de a igreja existir e nos chama a fazer parte desse propósito é o próprio Deus. Por isso, quando falamos sobre igreja, precisamos nos voltar primeiramente para Deus e perguntar como ele mesmo define a igreja em sua essência.

Para nos orientarmos a partir da perspectiva de como o próprio Deus vê a igreja, precisamos nos voltar para uma palavra central no final do ministério de Jesus. Em Mateus 28.18-20, o Jesus ressuscitado dá um sentido ao seu ministério passado e aponta para o futuro daquelas pessoas que o seguiam. Jesus mostra aos discípulos o que eles serão e farão daquele momento em diante: eles serão aquilo que logo mais será chamado de igreja. Ou seja, Deus vê a igreja como os discípulos de Jesus em missão no mundo. Por isso, ser parte da igreja de Jesus Cristo é, antes de qualquer coisa, ser um discípulo de Jesus Cristo. Por consequência, uma pessoa que se entende como discípulo de Jesus sabe que é um agente da missão que o próprio Jesus desempenhou em seu ministério. Portanto, é para isso que a igreja existe: para ser agente de Deus no mundo.

Ser parte da igreja é fazer parte do plano de Deus para salvar a humanidade e levá-la a se relacionar com ele. Ser igreja não se resume a participar do culto, pois no culto somos servidos por Deus e fortalecidos por meio da sua palavra, do louvor, da oração, do testemunho da fé, da confissão dos nossos pecados e, assim, somos equipados para o nosso dia a dia na caminhada de fé. Ser igreja, no entanto, vai muito além da reunião de culto, pois, na sua essência, somos igreja de Jesus Cristo para o mundo e no mundo. A perspectiva que a Bíblia apresenta como propósito da igreja existir é, em primeiro lugar, a perspectiva de um relacionamento com Deus por meio de Jesus Cristo e, além disso, uma tarefa a ser cumprida mediante a capacitação do Espírito Santo. Essa é a mudança prática mais importante que a teologia missional nos tem ensinado.

Renato Raasch

Diretor da Faculdade de Teologia Evangélica em Curitiba 

sexta-feira, 07 junho 2019

Encontro de Lideranças

22 e 23 de junho, em Porto Alegre/RS

Encontro de Obreiros

24 a 27 de junho, em Florianópolis/SC

Mais do ME

Alegrias em ser uma Comunidade mãe

Alegrias em ser uma Comunidade mãe

A Alegria de encontrar um propósito para além de si mesmo. Perceber que a fé é um ato multiplicador na vida de pessoas, mas também de novas igrejas. Não é fácil, dá muito trabalho. Mas a cada nova pessoa há uma nova alegria.

ler mais

Não é sacrifício, é privilégio!

Nós podemos aprender lições preciosas com as igrejas da Macedônia. Para essas igrejas, ofertar e investir na causa do reino de Deus não era um sacrifício, mesmo que representasse um esforço enorme e um desprendimento admirável. Ainda assim, não se travava de um sacrifício, mas um privilégio!

Alegrias em ser uma Comunidade mãe

A Alegria de encontrar um propósito para além de si mesmo. Perceber que a fé é um ato multiplicador na vida de pessoas, mas também de novas igrejas. Não é fácil, dá muito trabalho. Mas a cada nova pessoa há uma nova alegria.

A responsabilidade de uma Comunidade mãe

Plantar novas igrejas é a própria natureza da igreja de Jesus, é o testemunho histórico do cristianismo. Novas igrejas trazem vitalidade e ânimo, bem como cooperam para o cumprimento da grande comissão.

Passos para se tornar uma Comunidade mãe

Uma nova comunidade pode ser mais leve, ágil, adaptável e penetrar em novas áreas ou públicos com maior facilidade. Ampliando nosso horizonte vamos compreender que igrejas diferentes alcançam pessoas diferentes, em lugares diferentes.

A Comunidade mãe e sua importância

Toda comunidade saudável tem a capacidade de ser uma comunidade mãe. Talvez mais do que isso, pelo compromisso de levar o evangelho a todas as pessoas, em todos os lugares, tenham o dever de ser comunidade mãe, ou pelo menos participar ativamente da plantação de novas comunidades.

Vida e trabalho em missão

Ore ao Pai pelas oportunidades de compartilhar em seu local de trabalho. Procure oportunidades de compartilhar as verdades do evangelho durante seu dia de trabalho.

O Covocacionado e suas vantagens na plantação de igrejas

É necessário que comecemos a falar sobre a importância de pessoas covocacionadas no pastoreio de igrejas já existentes, como também na plantação de novas.

Vocação e Evangelho na missão pelo mundo

Nem a profissão nem o ministério devem definir o que é um “fazedor de tendas”. Ele deve ser alguém que sabe que é um filho amado de Deus. Uma pessoa impactada pela mensagem do evangelho de tal maneira que esteja disposta a reproduzi-la com naturalidade mesmo estando bem longe da sua zona de conforto.

Covocacionados?

Quando compreendemos o nosso trabalho como vocação de Deus, as nossas perspectivas são totalmente mudadas. Percebemos que, dentro da nossa realidade, já somos missionários atuantes, quando obedecemos a ordem e envio de Jesus Cristo. Não é somente o trabalho de um pastor ou de um missionário que é definido por vocação, mas também o de qualquer profissão, quando o cristão se deixa orientar por Deus.

Vocação pela missão de Deus!

O trabalho é parte da missão de Deus que Ele nos permite participar, também porque por meio dele alcançamos diversas pessoas que não conhecem a Cristo, mas porque ele agrada a Deus, e feito com justiça e dedicação manifesta sinais de seu reino. O trabalho não é só o meio que conseguimos recursos para ajudar aos missionários, mas um meio como todos nós somos missionários.

Em meio às turbulências, descanso!

Jesus Cristo chamou a Ele todos os “que estão cansados e sobrecarregados”, pois lhes dá descanso (Mt 11.28). Jesus novamente nos chama a Ele nesse tempo difícil. Talvez, em primeiro lugar nesse tempo de caos, precisemos encontrar descanso em Jesus, e lembrar do seu cuidado e da sua provisão.

Igreja em todas as circunstâncias

Deus continua agindo na história e agora enviou a sua igreja às suas próprias casas, nos mostrou o nosso serviço com as nossas próprias famílias e com a realidade bem próxima e concreta, com as necessidades imediatas dos nossos vizinhos.

A responsabilidade de uma Comunidade mãe

A responsabilidade de uma Comunidade mãe

Plantar novas igrejas é a própria natureza da igreja de Jesus, é o testemunho histórico do cristianismo. Novas igrejas trazem vitalidade e ânimo, bem como cooperam para o cumprimento da grande comissão.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.