Para quê serve a igreja?

Ser igreja é ter propósito

São muitas e variadas as experiências que fazemos com aquilo que chamamos de igreja. Algumas dessas experiências são boas, outras traumáticas. Por estarmos envolvidos na igreja e termos nossas experiências com ela, muitas vezes são justamente essas experiências que determinam como entendemos o que é a igreja e qual a sua função e o seu propósito.

Talvez pelo fato de estarem acostumadas com uma comunidade que presta certos “serviços religiosos”, muitas pessoas acham que a “igreja” é o local onde os recém-nascidos ou adultos são batizados, onde é feito o rito de confirmação e bênção matrimonial, onde se vai no Natal e na Páscoa, e que tem a ver com um prédio ou com pessoas reunidas em culto. Na verdade, muita gente participa daquilo que chama de igreja sem nem mesmo saber porquê, pois simplesmente herdou dos pais esse hábito de “ir à igreja”.

 A igreja é muito mais do que apenas nossas experiências com as pessoas que dela fazem parte ou que formam uma instituição com um estatuto. A igreja tem um propósito bem estabelecido para existir. E quem determina esse propósito não são os membros dela – nem mesmo aqueles que se acham sócios ou donos da igreja por ofertarem financeiramente e por fazerem parte dela há muito tempo. Quem estabeleceu o propósito de a igreja existir e nos chama a fazer parte desse propósito é o próprio Deus. Por isso, quando falamos sobre igreja, precisamos nos voltar primeiramente para Deus e perguntar como ele mesmo define a igreja em sua essência.

Para nos orientarmos a partir da perspectiva de como o próprio Deus vê a igreja, precisamos nos voltar para uma palavra central no final do ministério de Jesus. Em Mateus 28.18-20, o Jesus ressuscitado dá um sentido ao seu ministério passado e aponta para o futuro daquelas pessoas que o seguiam. Jesus mostra aos discípulos o que eles serão e farão daquele momento em diante: eles serão aquilo que logo mais será chamado de igreja. Ou seja, Deus vê a igreja como os discípulos de Jesus em missão no mundo. Por isso, ser parte da igreja de Jesus Cristo é, antes de qualquer coisa, ser um discípulo de Jesus Cristo. Por consequência, uma pessoa que se entende como discípulo de Jesus sabe que é um agente da missão que o próprio Jesus desempenhou em seu ministério. Portanto, é para isso que a igreja existe: para ser agente de Deus no mundo.

Ser parte da igreja é fazer parte do plano de Deus para salvar a humanidade e levá-la a se relacionar com ele. Ser igreja não se resume a participar do culto, pois no culto somos servidos por Deus e fortalecidos por meio da sua palavra, do louvor, da oração, do testemunho da fé, da confissão dos nossos pecados e, assim, somos equipados para o nosso dia a dia na caminhada de fé. Ser igreja, no entanto, vai muito além da reunião de culto, pois, na sua essência, somos igreja de Jesus Cristo para o mundo e no mundo. A perspectiva que a Bíblia apresenta como propósito da igreja existir é, em primeiro lugar, a perspectiva de um relacionamento com Deus por meio de Jesus Cristo e, além disso, uma tarefa a ser cumprida mediante a capacitação do Espírito Santo. Essa é a mudança prática mais importante que a teologia missional nos tem ensinado.

Renato Raasch

Diretor da Faculdade de Teologia Evangélica em Curitiba 

sexta-feira, 07 junho 2019

Encontro de Lideranças

22 e 23 de junho, em Porto Alegre/RS

Encontro de Obreiros

24 a 27 de junho, em Florianópolis/SC

Mais do ME

Somente a Escritura

Somente a Escritura

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

ler mais

Somente Cristo

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Somente a Escritura

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Somente a fé

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Relativismo

Jesus é a verdade porque é absoluto, é real independente de quem nele acredita ou não. Jesus vai muito além do relativo e é a própria verdade. Ele veio e venceu a morte para nos redimir, nos salvar de nós mesmos e do nosso pecado e nos levar até o Pai. Ele é a verdade que liberta!

Idolatria

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

Consumismo

O Consumismo é uma característica muito particular dos últimos tempos, e querendo ou não está de alguma forma afetando a cada um de nós diariamente, assim como o individualismo, tratado no último texto.

Individualismo

A igreja, para muitos, faz sentido somente quando satisfaz à sua individualidade, e isso é um sintoma do nosso tempo. Com isso, busca-se também somente a salvação individual, sendo que o Evangelho é a boa nova de Deus para todos, que também implica em dedicação e amor pelos outros.

Em qual estágio sua igreja se encontra? Nível 5: Multiplicação

Nesse nível a igreja se apresenta semelhante a igreja descrita no livro de Atos. Uma igreja que sabe para que existe. Uma igreja sem limites. Uma igreja em movimento!

Em qual estágio sua igreja se encontra? Nível 4: Reprodução

Chegamos ao nível 4, reprodução, quando uma igreja atinge a maturidade para plantar outra igreja. Segundo a “exponential” apenas 4% das igrejas conseguem atingir essa maturidade.

Em qual estágio sua igreja se encontra? Nível 3: Adição

Igrejas que se encontram no nível 3 – adição – tem crescimento, mas muito devagar. Segundo o estudo da “Exponential” nesse nível se encontram 15% das igrejas mundiais.

Em qual estágio sua igreja se encontra? Nível 2: Estabilizada

Nelas existem poucos ou nenhum ministério voltado para as pessoas de fora. Tudo que é realizado diz respeito aos membros que participam das programações. Se for sugerida alguma mudança, provavelmente ouviremos a frase “sempre fizemos assim”.

Em qual estágio sua igreja se encontra? Nível 1: Declínio

São igrejas em processo de diminuição do número participantes nos cultos ou em outras programações. Na maioria delas, seus membros estão morrendo, literalmente, e sendo enterrados no cemitério que fica nos fundos do templo. Essa igreja não consegue reagir às mudanças culturais ao seu redor e não possui mais vida. Essa igreja está morta!

Somente a fé

Somente a fé

Tanto o individualismo quanto o consumismo, tratados nos textos anteriores, são formas de idolatria. Muito se vê a idolatria ao corpo perfeito, ao dinheiro, à carreira e a pessoas, desde celebridades da mídia, esportistas ou políticos. Como cristãos não estamos imunes à idolatria.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.