O ano de 2020 marcou a nossa existência. Acredito que todas as áreas da sociedade foram, de alguma forma, impactadas pela pandemia da COVID-19. A igreja cristã também precisou rever a forma como estava pregando o Evangelho. Em poucos dias vimos uma migração apressada para o ambiente digital. Quem antes não tinha um canal no Youtube, uma página no Facebook e um perfil no Instagram, passou a ter que se acostumar com essas ferramentas. Sem um planejamento, muitos reproduziram o formato do ambiente físico para o virtual. Tudo certo! O momento pedia essa atitude, pois era necessário correr se quiséssemos continuar pregando o Evangelho.

Um grande problema que vimos acontecer foi esse “Ctrl+C e Ctrl+V” das liturgias de um ambiente para outro. Cultos mais extensos, que só fazem sentido dentro do templo, foram replicados para um ambiente que é muito mais competitivo que o mundo físico. A disputa é com as distrações – além das múltiplas tarefas dentro das casas, temos também a infinidade de conteúdo que a internet oferece. Não estou falando de “disputa” com outras igrejas, porque isso, na verdade, não é um problema, mas uma bênção. Essa competição ocorre com o catálogo tentador da Netflix e dos outros serviços de stream; com as lives de grandes artistas; com os infinitos desenhos animados; etc.

A internet entregou essa facilidade de chegarmos até as casas, porém temos alguns pontos para prestar atenção. Acredito que não podemos partir do pensamento “precisamos falar com todos sobre o Evangelho”, mas sim “com quem vamos falar sobre o Evangelho?”. Já diz um ditado muito famoso da comunicação: “Quem fala para todo mundo não fala para ninguém”. Será que é certo aplicarmos isso para dentro da igreja? O Evangelho não é para todas as pessoas? A resposta que posso dar é sim, e sim. Para ambas as perguntas só posso responder que sim!

O Evangelho é sim para toda a humanidade, sem acepções. O mandato de Jesus Cristo é para fazermos discípulos em todas as nações (Mateus 28.19). Porém, eu insisto em dizer que, se nós não personalizarmos a experiência da comunicação, não chegaremos nem em nossos vizinhos. É necessário entendermos com quem estamos falando, conhecer nosso público-alvo, enxergar suas dores e seus sonhos. Isso tudo para que possamos encontrar os melhores meios de comunicar a Palavra.

Paulo já havia feito isso! Ele se fez “tudo para com todos” (Leia 1 Coríntios 9.19-22). O próprio Deus, em Jesus, também fez isso! Não é o Cristo uma tradução do amor de Deus para a nossa linguagem humana? Voilà! Chegamos na palavra-chave: tradução. Essa sempre foi a nossa tarefa: traduzir o Evangelho para dentro da realidade das pessoas. E hoje, ainda mais, para dentro da realidade virtual, onde nossas igrejas se encontram massivamente. Além de conhecer as ferramentas online que temos, precisamos estar por dentro do que as pessoas estão vivenciando; em quais redes sociais elas estão presentes; quais assuntos mais as interessam; e por aí vai!

Se me permitem, quero ainda atualizar uma frase do teólogo Karl Barth. Ele dizia que “é preciso segurar numa mão a Bíblia e na outra o jornal!”. Hoje, eu diria, que “é preciso segurar numa mão a Bíblia e na outra o seu smartphone” – temos aí as ferramentas para alcançar a humanidade com a Palavra do nosso Senhor. Não é só copiar e colar a liturgia do culto. Não é só divulgar agenda em nossas redes sociais. Que o nosso Senhor nos abençoe e nos inspire a sermos criativos nessa tradução tão necessária.

*Pedro é Comunicador digital na IECLB Itajaí/SC – @pedrori

Pedro Rolfsen Ittner

Por Missão Zero

quarta-feira, 09 junho 2021
Mais da MZ
Semana intensa entre os Bara

Semana intensa entre os Bara

Grandes coisas tem feito o Senhor entre o povo Bara. A semana foi intensa, mas muito gratificante, com muitas atividades e evangelismo.

ler mais

Missão em um Parágrafo – França

Leia as últimas notícias da Mission Jeepp, em Lyon/França e do casal de missionários, Mateus e Mariana.

Semana intensa entre os Bara

Grandes coisas tem feito o Senhor entre o povo Bara. A semana foi intensa, mas muito gratificante, com muitas atividades e evangelismo.

Missão em um Parágrafo – África

Em nossa ilha, na África, temos tido semanas de muitas interações interessantes, com o grupo de homens e com o trabalho da Rafaela, na escola.

Missão em um Parágrafo – Caminho

O ministério “Trilhando a Caminho” quer ser uma ponte que liga pessoas e as conecta, enquanto trilha os morros da capital gaúcha.

Missão em um Parágrafo – Iguatu

Nossa sociedade precisa de mais referenciais da glória e do caráter de Deus. Nossa missão, em Iguatu/CE, é amar, conectar e cuidar de pessoas, refletindo o caráter de Cristo.

Missão em um Parágrafo – Treze Tílias

Saiba mais sobre os pequenos grupos, do projeto de plantação de igrejas, em Treze Tílias/SC. É muito bom ver o mover de Deus!

Missão em um Parágrafo – Parnaíba

Saiba um pouco sobre os primeiros cinco meses deste novo projeto de plantação de igrejas em Parnaíba, Piauí.

Deus tem alcançado o povo Bara

Deus tem alcançado o povo Bara de diversas formas. Leia sobre as conversões que aconteceram através de um professor. Ore por esse ministério, pelos missionários e pelo povo Bara.

Newsletter – 1º Trimestre 2022

Seguem notícias do 1º trimestre de 2022: Início de novas turmas no Programa Multiplique, novo projeto de plantação de igrejas em Parnaíba/PI e a Campanha de Ofertas 1 + 1 = Muitos.
Saiba mais!

Retornando para Madagascar

“Quem sabe não foi justamente para uma ocasião como esta que você chegou à posição de rainha?” ‭‭Ester‬ ‭4:14‬

A família Basso voltou para Madagascar.
Nas últimas notícias eles falam sobre a fidelidade no chamado e como sentem-se em casa e felizes pelo retorno.
Também contam sobre a renovação do visto, reuniões, sua chegada na capital, após a passagem de um ciclone, a ajuda para entrega de alguns alimento para as vítimas atingidas, podendo anunciar as boas novas.
Havia a possibilidade de novo ciclone, mas que não foi para a capital, porém destruiu vilas ao Sul.

Clique aqui e leia a carta na íntegra, que está repleta de detalhes!!!

Somente a Graça

Quando a mensagem dos reformadores começou a ecoar no norte do velho continente, homens e mulheres se viram desafiados a lançarem mão de suas estruturas societais como meios salvíficos para retornarem ao centro da simples e poderosa mensagem do Evangelho de Jesus Cristo – a salvação é concedida somente pela graça Divina, por meio da fé em Cristo.

Somente Cristo

A igreja tem a dádiva e a tarefa de zelar para que, em todos os tempos, o nome de Jesus Cristo continue sendo proclamado de como o único nome – somente Cristo – que tem o poder de redimir o mundo todo que “que está debaixo do poder do Maligno” (1 Jo 5.19).

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.