Toda vez que a intenção é sair de férias – viajar! – faz-se necessária uma revisão no carro. Não fazer essa revisão pode causar a ruína de todo um planejamento de descanso e alegria. Revisar faz parte da construção de uma viagem bem-sucedida.

É também o que vemos de tempos em tempos na igreja. A vida da igreja (e sua história) é uma viagem com destino certo. Ainda assim, o percurso demanda o cumprimento de tarefas essenciais. É o que chamamos de missão da igreja. Sem isso, tudo fica sem propósito.

As viagens da igreja são movimentos que ela faz na tentativa de apresentar o Evangelho de Cristo. São movimentos de identificação e confrontação. São movimentos de acolhida e de chamado ao arrependimento, trabalhados pelo Espírito Santo. Também aqui revisões se fazem importantíssimas.

Os primeiros cristãos sentiram a necessidade de revisões logo no início da caminhada da igreja. Em Atos 15.22-35 lemos sobre uma dessas revisões. Naquele ponto se mostrou de grande importância uma reavaliação da própria conduta e pregação da igreja. A luz indicativa da necessidade de uma revisão foi o fato de que “alguns saíram” e “perturbaram, transtornando a mente” (v.24) daqueles não-judeus que estavam se tornando discípulos de Cristo. Quando elementos estranhos ao Evangelho são adicionados à pregação, alguma providência precisa ser tomada.

Os apóstolos decidem, então, escrever uma carta e enviar pessoas de confiança para aqueles novos irmãos na fé. Era um gesto de acolhida, fruto de uma revisão. Também era fruto da revisão o retorno ao Evangelho da graça, que não impõe resoluções, mas que conta com o trabalho poderoso do Espírito Santo na modificação e reforma das vidas.

Atuar na missão de Deus em nossos dias tem passado por uma revisão. A igreja que quer ser igreja mesmo, ou seja, a igreja que quer viajar cada vez mais longe, precisa passar por esse processo. Ao pegar a estrada, plantando igrejas pelo caminho, não pode esquecer do que é central. Os velhos vícios não precisam ser reproduzidos nas filhas dessa igreja em missão. Só assim seremos portadores da “animadora mensagem” (v.31).

Cito alguns exemplos. Em tempos passados acreditávamos que havia um lugar mais sagrado que outros na face da terra. Chamando de templo e casa de Deus, fazíamos reverência ao lugar e ao significado que demos a ele. Também acreditávamos que uma das pessoas da igreja tinha mais importância que as outras. Ele seria mais próximo de Deus, conseguindo arrancar mais prêmios do Todo-Poderoso. Os outros ficariam em segundo plano, assistindo, aplaudindo ou reclamando. E ao olhar para fora, entendíamos tudo como ameaça, da qual deveríamos ficar o mais distante possível, para manter a pureza.

Se quisermos plantar igrejas saudáveis e multiplicadoras, essas perturbações precisam ser retiradas do meio da igreja. Assim como os apóstolos fizeram ao revisar tudo para alcançar os de fora do judaísmo, conforme lemos em Atos 15. Ali o problema envolvia o cerimonial da comida e sua preparação (entre outros detalhes). Hoje precisamos olhar para o Evangelho e recuperar a verdade de que todos os que creem são habitação do Espírito de Deus. Sem degraus de importância entre uns e outros. Cristo é acesso de todo o que crê ao Pai. E o que está fora da igreja é material de trabalho. É alvo de misericórdia. É campo de missão. Essa é a revisão crucial, se me permite o trocadilho.

Matias Silva

Por Missão Zero

quarta-feira, 28 abril 2021
Mais da MZ
Segure a corda

Segure a corda

Como é importante quando os problemas podem ser divididos e o campo missionário sabe a quem recorrer. Processos de mudanças de ações nesse sentido podem ser difíceis e abalam estruturas. Dificilmente, porém, haverá missão para fora se não tivermos capacidade de mexer estruturas internas.

ler mais

Negócios e plantação de igrejas: feitos um para o outro!

Não, o modelo missionário de Paulo não era “convencional”. Ele já havia demonstrado em Corinto, em Atos 18:1-4, sua fé na importância e poder das profissões no ministério, e sua convicção de que Deus não chama todos os Seus filhos para um ministério de tempo integral, mas que os chama a ministrar por tempo integral, elevando suas profissões a um contexto de ministério. Isso é especialmente verdade quando se trata de negócios.

Revisão preventiva

Atuar na missão de Deus em nossos dias tem passado por uma revisão. A igreja que quer ser igreja mesmo, ou seja, a igreja que quer viajar cada vez mais longe, precisa passar por esse processo. Ao pegar a estrada, plantando igrejas pelo caminho, não pode esquecer do que é central.

Segure a corda

Como é importante quando os problemas podem ser divididos e o campo missionário sabe a quem recorrer. Processos de mudanças de ações nesse sentido podem ser difíceis e abalam estruturas. Dificilmente, porém, haverá missão para fora se não tivermos capacidade de mexer estruturas internas.

Movimento missionário

Qual seria a fonte desta constante força encorajadora fazendo que Paulo e Barnabé não apenas fossem capazes de fornecer pra eles próprios tamanha energia e vitalidade na jornada missionária e vida com Deus, quanto também de abastecer o tanque vazio de cada qual ao seu redor?

Perdendo para ganhar

Atos 13.1-3 narra um acontecimento da Igreja de Antioquia. Não, não foi um milagre extraordinário. Pelo menos não parecia ser naquele momento. Não foi um megaevento, nem aconteceu na igreja de Jerusalém. Aconteceu numa comunidade distante dali, numa comunidade que começou meio por acaso. E foi um feito tremendo!

Páscoa: a perfeita Missão

A páscoa sempre nos relembra que Deus escolheu nos incluir, os imperfeitos, na sua perfeita missão. Ele começou, fez o que era necessário para nos salvar, e decidiu que ao invés de enviar anjos enviaria pessoas, enviaria você e eu para anunciar a todas as nações que há vida na morte, há perdão e libertação.

Missão na Europa?

A Europa foi responsável pela evangelização dos países americanos. Foi nela que o cristianismo se desenvolveu já nos primeiros séculos depois de Jesus e por meio da colonização fomos também evangelizados. Mas, desde o início do século XX, ela vive um período de descristianização e, por isso, hoje ela precisa ser novamente evangelizada.

O cristão e as finanças

A promessa é que quem abre a sua sementeira para semear, não terá falta de sementes. Deus não boicota quem tem um coração generoso, ao contrário, lhe proverá mais condições para que possa semear com generosidade em qualquer ocasião.

O cristão e o trabalho

No dia a dia é que mostramos quem realmente somos, nas nossas palavras e com as nossas atitudes. É ali que os outros podem perceber nosso caráter, nossas qualidades e defeitos. Mas como podemos ser como luzes ou como uma cidade edificada sobre um monte nessas circunstâncias?

Covocacionados: discípulos chamados a servir dentro e fora da igreja

A vida covocacionada é o buscar atender ao chamado específico de Deus para uma profissão fora da igreja, unido à obediência ao chamado geral de Deus para todos os discípulos de Jesus: fazer discípulos. Deste modo, se colocando à disposição de Deus para servi-lo em conformidade com os dons por Ele distribuídos.

Da oração à missão

O mesmo Espírito que dinamiza a missão é quem apazigua os ânimos, trazendo paz e unidade para os propósitos da igreja de Cristo. Por isso, ao sermos impelidos a deixar nossas zonas de conforto, por mais que haja confronto, no poder amoroso e capacitador do Espírito os desígnios soberanos do Senhor se cumprirão.

Por mim e por você

O sacrifício de Jesus na cruz foi por mim e por você. Não há nada que precise ser incrementado ao agir de Jesus, nem há nada que precisamos ou possamos oferecer para completar o que Jesus já arrematou na cruz. Nos resta responder a esse tão grande amor de Deus com fé, crendo em Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador.

Movimento missionário

Movimento missionário

Qual seria a fonte desta constante força encorajadora fazendo que Paulo e Barnabé não apenas fossem capazes de fornecer pra eles próprios tamanha energia e vitalidade na jornada missionária e vida com Deus, quanto também de abastecer o tanque vazio de cada qual ao seu redor?

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.