A Bíblia afirma, sem deixar nenhuma dúvida, de que somente Jesus Cristo é a única pessoa que oferece salvação (At 4.11-12) e vida eterna (Jo 3.16) para a humanidade. Ela também destaca que é indispensável confessar com a boca que “Jesus é o Senhor e no seu coração crer que Deus ressuscitou Jesus” (Rm10.10).

Durante o período da Reforma, no século XVI, Martim Lutero escreveu: “Justo não é quem pratica muitas obras, mas quem, sem obra, muito crê em Cristo”. Mas quem é Jesus Cristo, que os cristãos confessam como Senhor e Salvador? Segundo o apóstolo Paulo, em sua carta aos colossenses, em Jesus Cristo “habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade” (Cl 2.9). A Confissão de Augsburg, uma importante confissão da fé evangélico-luterana de 1530, declara que Jesus Cristo é “verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que verdadeiramente nasceu, padeceu, foi crucificado, morreu e foi sepultado (…) no terceiro dia ressurgiu verdadeiramente dos mortos, subiu ao céu e está sentado à destra de Deus” (Art. 3).

Lutero lembra também que o Senhor Jesus Cristo “vem até nós ou somos levados até ele” ali onde se apresentam os seguintes elementos: a pregação da Palavra de Deus, a administração dos sacramentos, o exercício da oração e o sofrer a cruz, entre outros. Onde estes elementos estão presentes, é possível visualizar a existência do povo cristão, a Igreja. Esta, por sua vez, tem a dádiva e a tarefa de zelar para que, em todos os tempos, o nome de Jesus Cristo continue sendo proclamado de como o único nome – somente Cristo – que tem o poder de redimir o mundo todo que “que está debaixo do poder do Maligno” (1 Jo 5.19).

A existência e a missão da Igreja, no entanto, caem ou ficam em pé com a exclusividade salvífica de Jesus Cristo. Quando, na atualidade, a exclusividade de Cristo, como Senhor e Salvador, é relativizada, em prol de uma pretensa tolerância para o bom convívio entre as religiões, povos e culturas, então certamente a Igreja deixa de ser Corpo de Cristo e torna-se uma organização humanitária, que pode ser de boa aparência aos olhos humanos, mas não é mais Igreja Cristã. Que Deus conceda diariamente à Sua Igreja a força para crer, confessar e obedecer somente a Cristo!

Mário Francisco Tessmann

professor da FATEV

sexta-feira, 18 outubro 2019

Mais do ME

9 elementos essenciais da missão – 8: Missão como testemunho

9 elementos essenciais da missão – 8: Missão como testemunho

Vivemos um profundo relativismo, onde toda verdade é verdade para aquele que a toma. Nisso, muitas vezes o cristianismo é colocado apenas como uma maneira de ver o mundo, assim como as outras religiões, mas que apenas refletem parte de uma verdade maior ou verdade nenhuma.

ler mais

Chega de Águas Paradas

O Mar Morto é tão saturado de sal que nenhuma criatura consegue sobreviver nele. Por que há diferença entre os dois lagos? O de Genesaré recebe a água do Jordão e as passa adiante. O Mar Morto as recebe também, mas segura cada gota para si. Foi assim que ele se tornou salgado, amargo e hostil a vida.”

9 elementos essenciais da missão – 8: Missão como testemunho

Vivemos um profundo relativismo, onde toda verdade é verdade para aquele que a toma. Nisso, muitas vezes o cristianismo é colocado apenas como uma maneira de ver o mundo, assim como as outras religiões, mas que apenas refletem parte de uma verdade maior ou verdade nenhuma.

Programa Multiplique: desenvolvimento pessoal e vocacional

O Programa inclui testes de personalidade e acompanhamento psicológico, participação no Desperta ONLINE e palestras sobre diversos temas nas áreas pessoal e ministerial.

9 elementos essenciais da missão – 7: Missão como ministério de todo o povo de Deus

O chamado à missão não foi dado somente a alguns cristãos, mas a todos, assim como o Espírito Santo veio a todos (Atos 2.4) em pentecostes, e não somente a alguns. Cada cristão é convocado a ser missionário, onde quer que esteja!

9 elementos essenciais da missão – 6: Missão como contextualização

Quer percebamos ou não, quando escrevemos, falamos, ou nos comunicamos de qualquer forma, tentamos fazer isso de forma contextualizada. Nos comunicamos de um jeito que acreditamos que seja entendível para o outro. Nos comunicamos de forma diferente com uma criança e um idoso.

9 elementos essenciais da missão – 5: Missão como evangelização

O evangelismo é convite! Ele não é o mesmo que estimular os sentimentos de culpa em outras pessoas para que elas se “convertam por medo”. Evangelismo é anunciar um amor que atrai. É um presente que foi dado ao mensageiro que o anuncia a outros.

9 elementos essenciais da missão – 4: Missão como busca por justiça

Diz-se que não adianta dar o alimento espiritual àquele primeiramente sofre de terrível fome física. Ao mesmo tempo, não adianta apenas matar a sede que vai reaparecer e não dar da “água a jorrar para a vida eterna” (João 4.14). Que encontremos em Jesus inspiração e no Espírito Santo capacitação para atendermos às necessidades mais profundas do ser humano!

9 elementos essenciais da missão – 3: Missão como mediação da salvação

A salvação vem do Senhor, diz Jonas 2.9, e ele está fazendo parte dela por meio de nós. Entre o Reino de Deus já presente e que ainda há de se consumar, nos resta apenas uma ordem: envolver-se no ministério da salvação!

9 elementos essenciais da missão – 2: Missão como Missio Dei

A Missão, em primeira ordem, é de Deus. Ele mesmo é que está em missão e é dele o maior interesse na missão. Ele reconcilia o homem consigo e concede a esses que foram perdoados e receberam nova vida o privilégio de fazer parte dessa obra.

9 elementos essenciais da missão – 1:Missão como Igreja com os outros

A igreja não é criadora ou objetivo da missão, mas instrumento dela. Dessa forma, a igreja é missionária em sua essência, pois o seu propósito é fazer parte da missão de Deus no mundo.

2 bons propósitos para 2020

Sempre temos muitos propósitos quando um novo ano se inicia. Alguns deles podem ser emagrecer, fazer exercícios físicos, economizar mais, crescer profissionalmente, viajar mais, passar mais tempo com a família, aprender uma língua e muitas outras coisas.

3 passos para uma noite especial: Passo 3 – Prepare uma pequena mensagem

A mensagem pode ser um breve testemunho de sua vida de fé ou uma breve explicação sobre o real significado do natal. Nesse momento você pode compartilhar que no natal é comemorado o nascimento de Jesus, quando Deus se fez homem para salvar a humanidade, e tudo isso para demonstrar o quanto Deus ama todas as pessoas.

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

[egoi-simple-form id="213034"]

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.